Doença de Alzheimer de início precoce (DAIP): características neuropatológicas e variantes genéticas associadas.

  • Helem F. Ribeiro Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biomedicina, Universidade da Amazônia. Belém, Pará, Brasil.
  • Jéssica Scarlet F. dos Santos Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biomedicina, Universidade da Amazônia. Belém, Pará, Brasil.
  • Julyanne N. de Souza Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biomedicina, Universidade da Amazônia. Belém, Pará, Brasil.

Resumen

A doença neurodegenerativa mais comum no mundo é a doença de Alzheimer (DA), e 10% dos casos apresentam sintomas antes dos 65 anos, quase todos com associação genética, com hereditariedade autossômica dominante e penetrância entre 92 a 100% dos portadores. Na presente revisão, realizamos uma busca sobre as variantes genéticas associadas à doença de Alzheimer de início precoce (DAIP), enfatizando as características associadas mais importantes e as principais mutações já descritas. Os genes mais comumente relacionados com o surgimento da DAIP são APP, PSEN1, PSEN2 e MAPT, e mutações nestes afetam o metabolismo e a estrutura destas proteínas, resultando em acúmulos de peptídeo Aβ que causam inflamação e toxicidade no cérebro, levando à ativação da micróglia e promovendo a liberação de fatores neurotóxicos e pró-inflamatórios que aceleram a neurodegeneração. O gene PSEN1 é responsável por 70% das mutações conhecidas da DAIP, sendo a L166P associada à idade de ocorrência da doença abaixo dos 30 anos. Mutações em APP levam à agregação da proteína em placas neurodegenerativas. Todas as mutações descritas para MAPT estão associadas a um aumento dos emaranhados neurofibrilares. O polimorfismo E4 da Apolipoproteína E (APOE) influencia o aumento no risco de DAIP elevando as chances em três vezes para portadores heterozigotos e entre oito a dez vezes para os homozigotos. Apenas 5% das mutações associadas à DAIP são conhecidas, e novos estudos apresentam outros genes candidatos, bem como a importância de alterações epigenéticas na gênese desta doença.

Publicado
2021-08-09
Cómo citar
1.
Ribeiro HF, dos Santos JSF, de Souza JN. Doença de Alzheimer de início precoce (DAIP): características neuropatológicas e variantes genéticas associadas. Revista de Neuro-Psiquiatria [Internet]. 9ago.2021 [citado 16oct.2021];84(2):113-27. Available from: https://revistas.upch.edu.pe/index.php/RNP/article/view/3998
Sección
ARTÍCULO DE REVISION